Como fazer reforma em casa com o 13º salário

Entenda como investir seu 13º salário em reformas na casa sem dor de cabeça e começar o ano com a casa linda e as finanças em dia
 Por Giselle Coutinho
O final do ano é o período em que refletimos sobre os meses que se passaram, reavaliamos nossas atitudes e fazemos planos para que o ano seguinte seja melhor. Um dos planos mais comuns nesta época é o da reforma da casa, pois busca-se uma harmonia no ambiente tanto para o Natal e Réveillon, quanto para o ano seguinte.

Com a vinda do 13º salário, que segundo o Dieese, Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômico, beneficiará cerca de 78 milhões de brasileiros e deve injetar R$ 118 bilhões na economia, a realização das expectativas de melhorias da casa fica mais fácil, já que o montante de dinheiro é benéfico para negociação de descontos em mão de obra e materiais de construção.

Mas é importante ter um plano estruturado para a realização de obras no final do ano, para que não haja excesso de gastos que comprometam o cumprimento das obrigações financeiras do começo do ano que o 13º salário costuma auxiliar, como IPTU, IPVA , seguro do automóvel, taxa de licenciamento, despesas com o material escolar e matrículas dos filhos nas escolas.

O planejamento para a realização da reforma na casa deve não só prever gastos para evitar problemas futuros como analisar a situação financeira vigente e verificar se este investimento é viável ou se o abono de final de ano deve ser usado de outra maneira. “Se a família estiver muito endividada, é melhor liquidar os débitos antes de iniciar a reforma”, afirma José Roberto Savoia, professor de Finanças da USP.

Passo-a-passo para fazer obras de maneira efetiva com seu 13º salário
  • Defina o período de duração e quanto do seu 13º salário será usado na obra como um todo. Procure não usar todo o 13º salário. Deixe uma reserva para emergências;
  • Analise a casa, defina que ambientes receberão as modificações e faça uma lista de desejos de modificações para cada cômodo;
  • Se a reforma exigir derrubada ou levantamento de paredes, trocas de pontos de energia e água ou outra atividade complexa, procure, com a planta original da casa em mãos, um arquiteto ou engenheiro para verificar se essas alterações são possíveis;
  • Peça auxílio do seu arquiteto, ou mesmo do mestre de obras ou pedreiro – se for uma reforma simples, para a elaboração de uma lista completa com todos os materiais necessários para a realização da reforma;
  • Faça pesquisas sobre preços e usos dos materiais de construção, leia publicações especializadas para fazer a escolha de revestimentos certos e coerentes com seu dia a dia e visite diversas lojas;
  • Pense se você terá tempo disponível para ficar de olho na obra, cuidando da logística dos materiais e atividades. Se você pretende viajar enquanto a reforma é feita, contrate um engenheiro ou arquiteto para cuidar da realização da mesma durante sua ausência;
  • Faça contratos com a equipe responsável pela mão de obra contemplando os direitos e deveres de cada parte e a definição prévia de preço e prazos de todas as mudanças que devem ser realizadas. Para garantir que a obra seja concluída no prazo estipulado, é importante negociar o preço fechado do serviço e não os dias trabalhados, evitando atrasos ou extrapolar o valor que você separou do seu abono para realização da reforma;
  • Divida todo o plano de reforma em etapas e reforme um ambiente por vez – priorizando os que mais precisam de retoques, para facilitar a administração dos recursos utilizados e o serviço executado. Desta forma também evita-se o estresse, caso a pessoa fique no ambiente e vá conviver com a obra;
  • Escolha apenas uma loja para a compra de materiais e procure pagar à vista para negociar melhores descontos.
“O período de obras precisa ser lembrado como um momento importante para a valorização do imóvel e não se tornar um trauma, capaz de postergar reformas necessárias para a ampliação do bem estar dos moradores da casa. Procedimentos simples são capazes de evitar gastos inesperados e problemas de relacionamento com o pedreiro ou mestre de obras”, conclui Juliano Ohta, Diretor de Mercadorias e Marketing de Produtos da Saint-Gobain Distribuição Brasil.

As reformas da casa são um investimento para o bem estar da família e também financeiro já que, segundo os especialistas, é possível ter mais de 30% de valorização em um imóvel após uma boa reforma. Aproveite seu abono para fazer esta boa aplicação do seu dinheiro!

Fonte: Dicas de Mulher
 

O Pregador Copyright © 2011 | Template design by O Pregador | Powered by Blogger Templates