Desponta demanda por imóveis em Maracanaú

Considerado o maior centro industrial do Ceará, o município de Maracanaú, a 18 quilômetros de Fortaleza, passa agora por importantes avanços no setor imobiliário. Somente nos últimos dois anos, a demanda por imóveis na região dobrou. Atualmente, o município já é visto como uma alternativa de descentralização residencial.
Para o vice-presidente de compra e venda do Secovi (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis), Kalil Otoch, são vários fatores que contribuem para as famílias morarem na região. "Primeiramente o preço mais atrativo, segundo a proximidade da Capital e por ser a maior cidade dormitório do Ceará. A mão de obra gerada na cidade é praticamente toda consumida pela Capital, além de Maracanaú ser o maior centro industrial do Estado e possuir o segundo maior produto interno bruto per capita do Ceará", afirma.

Terrenos

O "boom" do mercado imobiliário de Maracanaú aconteceu devido ao número de investimentos em terrenos para fins residenciais e comerciais, além do aumento da renda e da oferta de crédito nos bancos. De acordo com Paulo Carneiro, diretor comercial da Mercatis Imóveis, empresa parceira da construtora especializada Terra Brasilis, a demanda aquecida por imóveis no município ainda vai continuar.


"A tendência é de valorização ainda por muito tempo, pois Maracanaú continua recebendo muitos investimentos e conta com pouco espaço, apenas oito quilômetros quadrados, sendo um dos menores municípios do Ceará em território", argumenta Paulo Carneiro.

O diretor comercial acrescenta que vários imóveis do município são procurados como primeira residência. "O funcionamento do Metrofor e a duplicação do anel viário irão melhorar consideravelmente a acessibilidade a Maracanaú e a crescente oferta de comércio, lazer e serviços, inclusive educacionais, de qualidade, facilita a fixação de famílias de classe mais alta no município", explica.

Conforme o Secovi, o metro quadrado residencial de Maracanaú varia de R$ 1.500 a R$ 2.000. Já o comercial custa de R$ 2.000 a R$ 3.000 reais. 


Fonte: Diário do Nordeste
 

O Pregador Copyright © 2011 | Template design by O Pregador | Powered by Blogger Templates