Financiar casa de campo tem juros mais baratos do que imóvel na cidade

Caixa possui financiamento específico, mas também há crédito em outros bancos
Quem deseja construir uma casa de campo poderá contratar um financiamento com juros mais baixos do que os praticados para um imóvel na cidade.


Isso porque apenas a Caixa Econômica Federal oferece crédito específico para esse fim. Pelo Crédito Imobiliário Rural – FGTS, os interessados podem conseguir a grana para construir a casa no campo com taxa anual de 7,93% para um imóvel de R$ 100 mil, de acordo com levantamento feito pelo R7. 

Nos bancos privados, é possível contratar o mesmo crédito oferecido a um imóvel na cidade. Porém, as instituições que têm essa opção praticam taxas mais altas: 8,90% (no Bradesco); 9,50% e 11%, de acordo com o tipo de casa (HSBC), e 9,50% (Itaú Unibanco) — confira as simulações no quadro abaixo.Não é possível financiar a construção ou a compra pelo Banco do Brasil, pois a instituição só tem crédito para quem preenche os requisitos do Programa Nacional de Habitação Rural, ou seja, para aqueles que trabalham com atividade rural. Já o Santander não financia casas de campo. 

Financiamento

Para comparar as taxas, a reportagem considerou uma entrada de R$ 20 mil em um financiamento com prazo de 15 anos (180 meses). A simulação foi feita para um comprador com 40 anos, trabalhador com carteira assinada e renda mensal de R$ 7.000. 

Porém, é preciso ressaltar que o financiamento da Caixa só pode ser feito para quem tem uma renda familiar bruta de R$ 465 a R$ 5.400. 

Para arcar com as parcelas, que variam de R$ 907,77 a R$ 1.194,17, dependendo do banco, é preciso ter uma renda mensal superior a R$ 3.000. 

Para obter o crédito da Caixa para a casa no campo, o interessado não pode ter outro financiamento de imóvel em andamento e também não pode trabalhar com atividade agrícola. 

Outro requisito importante é que ele não pode ser dono de apartamento ou casa, no meio urbano ou rural, na cidade onde pretende construir a casa de campo. 

Além dos juros, quem pretende construir a sonhada casa na zona rural não pode deixar de comparar o CET (Custo Efetivo Total) que, por reunir todas as taxas (juros, assinatura, risco de calote), mostra com mais transparência o quanto o interessado vai gastar ao longo dos meses, recomenda o pesquisador do Ibre/FGV RJ e especialista em Finanças e Crédito Público Gabriel Leal de Barros. 
  • O CET resume o custo final e é um resumo do risco de crédito dessa operação. 
A Caixa Econômica Federal possui o menor CET, de 9,37% ao ano. No Bradesco, o custo é de 10,65%; no HSBC, de 11,04% e no Itaú Unibanco, de 11,19%. 

Na hora de comparar os resultados, o economista explica que o primeiro passo é pesquisar as condições oferecidas antes de ir ao banco. Vale dar uma olhada nos sites e fazer as simulações disponíveis. 
  • É importante fazer testes com a mesma taxa em prazos maiores ou menores, sempre observando o perfil da família, já que alguns se preocupam mais com o tamanho da parcela e outros, com os juros.

Fonte: midianews
 

O Pregador Copyright © 2011 | Template design by O Pregador | Powered by Blogger Templates