Fortaleza vive um novo ´boom´ de shoppings

São mais de mil lojas previstas para os próximos dois anos, nos novos centros de compras em construção
Como será que reagiriam os cearenses que, no ano de 1974, presenciavam impressionados a inauguração do Shopping Center Um e suas 48 lojas e lanchonetes, se alguém dissesse que, no futuro, um só empreendimento contaria com oito vezes mais opções do que aquelas apresentadas naquele dia? Poderia ser difícil de acreditar à época, mas quase 40 anos depois da abertura do primeiro shopping da cidade, improvável é levantar tais dúvidas.



Maior incentivo ao Shopping Parangaba diz respeito à área de influência da região Foto: JL Rosa


Com mais de mil lojas previstas para os próximos dois anos, sendo 380 delas localizadas somente em um dos três novos centros de compras em construção, a Capital cearense está prestes a ser o primeiro palco de um novo ´boom´ do setor em todo o Ceará.

Assim como aconteceu na década de 90, quando muitos empreendimentos começaram a ser inaugurados em diferentes pontos da cidade para atenderem principalmente as classes A e B, casos de North Shopping (1991), Avenida Shopping & Office (1994), Salinas Casa Shopping (1996), Shopping Aldeota (1998) e Shopping Benfica (1999), atualmente a cidade atravessa um período de expansão, mas dessa vez focada na classe C emergente e nos bairros pouco explorados por grandes centros de compras.

"Existe uma imensa demanda reprimida que só está sendo explorada agora", comenta o presidente da Associação dos Lojistas de Shopping Centers do Ceará (Aloshop), Abílio do Carmo.

Poder aquisitivo maior

Ainda de acordo com ele, que revelou que a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) conta hoje com 23 shoppings das mais diversas categorias e tamanhos, o maior motivo para os novos investimentos estarem acontecendo é justamente o aumento do poder aquisitivo dos brasileiros, assim como alguns incentivos do governo federal.

"O número de pessoas incluídas na classe média aumentou bastante nos últimos anos e quem chega vem ávido a comprar, pois trabalhou a vida inteira para alcançar tal patamar e agora quer produtos melhores. A queda do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para alguns itens também ajudou", opina Abílio.

O presidente da Aloshop também diz acreditar que a classe A já não é uma frequentadora assíduo dos grandes centros de compras na cidade.

"Ao meu ver, as pessoas com maiores condições financeiras estão até se afastando um pouco dos shoppings, pois tendem a evitar tumultos e comprar seus produtos fora do País. Aqui elas só compram presentinhos", afirma o representante do setor no Estado.

Um bairro que desperta

A Parangaba talvez seja hoje o maior exemplo desse processo de expansão dos grandes shoppings centers em regiões ainda pouco exploradas de Fortaleza. Até pouco tempo esquecido pelos investidores do setor, o bairro deve receber, já em outubro deste ano, dois empreendimentos que juntos disponibilizarão um total de 65 mil metros quadrados (m²) de Área Bruta Locável (ABL), onde se localizarão 514 lojas. Os dois novos centros de compras serão: o Shopping Parangaba, do grupo cearense Marquise em parceria com a paulista CEI Shopping Centers; e o North Shopping Parangaba, dos grupos North Empreendimentos Brasil, Ancar Ivanhoe Shopping Centers e Diagonal.

Localizado na confluência da Rua Germano Franck com a Avenida Dedé Brasil, em frente ao terminal de ônibus, o Shopping Parangaba foi o primeiro dos grandes empreendimentos em andamento a dar início às suas obras, que começaram em março de 2011.

Orçado em cerca de R$ 180 milhões, o shopping está sendo construído em um terreno de 52 mil m² e terá 32 mil m² de ABL, mais de 1,3 mil vagas de estacionamento, um mix de 306 lojas e seis salas de cinema e projeção 3D. "O cronograma está completamente em dia, já que, no momento, estamos com 67% das obras concluídas. Toda a parte de estrutura está feita e a alvenaria se encontra praticamente pronta, restando apenas o acabamento, que está começando", reforça a diretora da Holding do Grupo Marquise, Carla Pontes.

Ainda segundo ela, as lojas do Shopping Parangaba já encontram-se 85% comercializadas. "Estamos atraindo investidores de fora de Fortaleza, como lojistas de Salvador, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo", fala. Conforme diz, existe ainda uma outra grande parcela de empresários que estão migrando das ruas para o shopping. "Tem também quem esteja abrindo o primeiro negócio por meio de uma franquia dentro do shopping", diz.

Sobre o interesse em implantar um empreendimento desse porte na Parangaba, a diretora do Grupo Marquise afirma que o maior incentivo diz respeito à área de influência da região, que atinge outros 20 bairros da cidade. "Acreditamos que o shopping estará bem localizado para 48% da população de Fortaleza, o que nos permite prever um fluxo diário de 80 mil a 100 mil pessoas", explica.

O renascimento do Jóquei Club
80% das lojas do North Shopping Parangaba já se encontram comercializadas, sendo que todas as nove âncoras não estão mais disponíveis FOTO: JL ROSA


Palco de grandes festas do esporte e frequentado por uma significativa parcela dos fortalezenses na década de 80, o terreno onde se localizava o antigo Jóquei Clube abriga desde fevereiro do ano passado as obras de outro grande empreendimento que chegará à região ainda neste ano, o North Shopping Parangaba. Fruto de um investimento de R$ 240 milhões, o shopping terá 33 mil m² de ABL já na primeira fase, cerca de duas mil vagas de estacionamento e 208 novas lojas, incluindo seis salas de cinema. "Esse é o nosso projeto para a inauguração, mas já abriremos as portas com uma expansão prevista, onde o empreendimento ganhará duas torres comerciais, com nove pavimentos cada, e a ABL chegará a 60 mil m²", avisa o superintendente do North Shopping Parangaba, Rodrigo Vitali.

Sobre a locação, Vitali afirma que 80% das lojas já se encontram comercializadas, sendo que todas as nove âncoras não estão mais disponíveis. Marcas como Riachuelo, Centauro, Rabelo e MC Donald´s estão entre as confirmadas. "Para quem ainda pensa em colocar um negócio no empreendimento, o meu conselho é que se aprece, pois você já está atrasado", brinca.

30% das obras

Apesar de previsto para outubro, o North Shopping Parangaba se encontra com apenas 30% das obras concluídas, o que se refere basicamente à superestrutura e à infraestrutura.

Para Vitali, porém, isso não culminará em uma alteração do prazo estipulado para a inauguração, tendo em vista que não há atraso. "Utilizamos de grandes estruturas pré-moldadas para agilizar o processo de construção, o que nos deixa dentro do prazo para a conclusão", afirma o superintendente. Atualmente, cerca de 300 operários estão trabalhando na obra.

Estrutura

Com três pisos, o empreendimento utilizará 380 pilares para cerca de 52 mil m² de área de laje. A montagem dos pré-moldados, sob responsabilidade da Concremat, será concluída até maio deste ano e seguirá em paralelo com as instalações elétricas, hidráulicas, de forros e pisos do local.

A Diagonal também participa da construção do North Shopping Parangaba e do Jóquei Ville - área residencial ao lado do shopping, que será localizada no bairro do Jóquei Clube, na Avenida Maria do Carmo, 1900. (AL)


Fonte: Diário do Nordeste
 

O Pregador Copyright © 2011 | Template design by O Pregador | Powered by Blogger Templates