Feriados e festas de final de ano aquecem o mercado de locação por temporada

Feriados e festas de final de ano aquecem o mercado de locação por temporada. O aquecimento, no entanto, exige do locador e locatário cautela na hora de fechar o negócio. Para o proprietário do imóvel que deseja alugá-lo durante a temporada opções de sites para anunciar o produto não faltam. Ainda assim, convém ao proprietário tomar os devidos cuidados para não criar problemas com o inquilino ou com a Lei, tornando o processo de aluguel por temporada mais seguro – e rentável.

Carlos Samuel de Oliveira Freitas, advogado e diretor de condomínios e jurídico da Imobiliária Primar Administradora de Bens, comenta que existem algumas ações que devem ser tomadas pelos proprietários do imóvel antes de alugá-lo - e que essas atitudes podem prevenir de futuros problemas.

“Uma importante dica é verificar quem é o inquilino. Se ele for brasileiro, você pode pedir o CPF dele e verificar suas pendências de crédito, mas, se o inquilino for estrangeiro, a coisa complica um pouco. Nesse caso, o proprietário acaba ficando mais no escuro mesmo” diz Freitas.

Ainda de acordo com Freitas, o certo é não deixar objetos de valor à mostra na casa a ser alugada. “Se você vai alugar um imóvel que não é a sua própria residência, essa parte é mais fácil, mas caso se trate da sua própria casa, esteja ela ocupada por você ou não, é aconselhável guardar objetos de valor em local seguro”, alerta.

CUIDADOS

A relação de objetos e móveis no imóvel é, segundo Valter Junior, supervisor de locação da imobiliária A Predial, um dos principais critérios a ser observado no contrato. “O locador deve fazer uma boa checagem no imóvel. Ele deve fazer também uma relação detalhada dos bens que estão no local. Do mesmo modo, o locatário deve checar a relação de objetos, móveis e eletrodomésticos que constam no imóvel, verificando ainda se tudo está funcionando. Outro item importante para o inquilino é avaliar se todos os encargos referentes à locação estão estipulados no valor do contrato (condomínio, IPTU, energia, limpeza etc.,), para que ele não seja surpreendido depois com uma conta maior do que foi acordado inicialmente”, explica.


Valter Junior destaca também que o contrato de locação por temporada, a exemplo do convencional, é cercado de cláusulas. “É bom ler o contrato com cuidado e analisar todas as cláusulas que determinam os direitos e responsabilidades do locador e locatário. Isso minimiza as chances de gerar algum constrangimento depois”, comenta Valter Junior.

Com relação ao anúncio do imóvel, Carlos Freitas esclarece que todo proprietário deseja passar uma boa imagem do seu produto para os futuros clientes, mas o anúncio não deve ser exagerado. Para ele, o proprietário deve ser realista, descrever tudo que o imóvel tem, eventuais restrições, localização e de fotos que não sejam excessivamente retocadas. “Se o inquilino se sentir enganado ao chegar ao imóvel, ele pode querer uma indenização”, avisa o advogado. Além disso, inquilinos podem fazer comentários negativos no seu anúncio, dificultando locações futuras e prejudicando a reputação do anunciante na internet.

Mesmo se consolidando como uma prática recorrente no Estado, o aluguel de imóveis por temporada requer o máximo de atenção dos consumidores. É importante lembrar que cuidados como a procura de referência com pessoas conhecidas do local a ser alugado, a negociação do aluguel através de empresas que tenham respaldo, o conhecimento mínimo sobre a localização do imóvel e a reserva do aluguel com antecedência para evitar a especulação nos preços, são fatores que aumentam as chances de consolidação de negócios seguros.


Fonte: O estado ce
 

O Pregador Copyright © 2011 | Template design by O Pregador | Powered by Blogger Templates